sábado, 20 de abril de 2013

Aula 2: Imagens (Figuras)



Olá, seja bem vindo(a) à nossa segunda aula sobre como escrever poesia!


Na aula anterior, falei sobre "Descrição" como uma das técnicas para escrever poesia, bem como também sobre o uso de dois recursos para que ela ocorra: a observação e a abstração.  

Na aula de hoje, os nossos objetivos são:

- conhecer sobre o processo de construção de sentidos a partir dos percursos figurativos em enunciados

- elaborar poemas com descrição figurativa de sentido 

Quanto ao nível das habilidades, no final da aula, você deverá ser capaz de:

- elaborar percursos figurativos com coesão e coerência
- associar observação e abstração na elaboração de percursos figurativos. 

E para o nível das competências, você deverá ser capaz de:

- dominar os recursos ensinados
- descrever situações diversas por meio de figuras
- contrastar um percurso figurativo com outro percurso já elaborado 

Vamos então à aula. 

Introdução: Procurando o sentido dos enunciados

Os enunciados são feitos sem obedecer uma regra própria de construção. É o falante, segundo suas intenções (objetivas e subjetivas), quem determina o funcionamento do  enunciado. Por exemplo: 

Então o menino chegou na oficina com sua bicicleta quebrada. Logo, o senhor pegou as ferramentas e pôs-se a consertá-la. Em poucos minutos, o menino ajuntou-se aos demais ciclistas. 

Neste enunciado fica claro que a produção de sentido é bem objetiva: o falante (narrador) diz exatamente o que vê à sua frente, é como se um filme estivesse passando em sua mente. Se você reler novamente o enunciado, verá que há um número muito grande de vocábulos capaz de gerar em sua mente uma imagem (figura). Como há rápido entendimento, o sentido, a compreensão do enunciado,, fica clara. 

Na verdade, o que acontece é que quando temos a intenção de falar sobre "algo", precisamos antemão saber se o assunto (tema). No caso do enunciado, ele é totalmente figurativo. Vejamos illustrativamente: 

(1) Percurso do menino e a bicicleta quebrada

Nessa figura, aparece um menino machucado e uma bicicleta quebrada. Devido ao problema com a bicicleta, foi preciso levá-la até a oficina para consertos. 

O fato é que menino, bicleta e oficina completam a ideia do enunciado feito. 

(2) Percurso do conserto da bicicleta 


 Ja nessa outra imagem, aparece rodas de biciletas, um homem arrumando as rodas e, mais precisamente, um ambiente-cenário que rapidamente nos dá a ideia de oficina. 

As palavras senhor e ferramentas vão, imediatamente, gerar a noção de conserto.

(3) Percurso da corrida de ciclismo 


Por fim, aqui mostra claramente vários ciclistas em competição, com suas bicicletas. 

Pelo enunciado, as palavras menino e ciclistas vai esclarecer-nos com respeito à competição. 



Sendo assim, quando determinados assuntos são figurativamente elaborados, a noção por imagens é imediata (automática). Até aqui, poderia dizer que quando maior o número de imagens, mais rápido é o entendimento. Todavia, nem sempre é assim. Vale apenas aqui dizer que as figuras ajudam na compreensão dos fatos. 

A coerência nos enunciados figurativos


O mais importante em um enunciado não só o uso dos vocábulos que dão ideia de imagem. Uma criança, por exemplo, que ainda não tem a linguagem totalmente definida pela sequencia sintática e gramatical, poderia elaborar um enunciado assim:  

Mãe carro foi comida.    

Provavelmente a criança queria dizer: 

Minha mãe foi ao supermercado com o carro para trazer comida para mim.  

Mas é certo que em ambas as frases o nível de coerência (lógica) é o mesmo, pois os termos mãe, carro e comida completam o sentido. 

Em enunciados figurativos o mais importante é manter a coerência! 
Veja esse exemplo: 

Busca-se no lago os meninos do rio afogados na cachoeira.

Obviamente não há como chegar a uma conclusão certa porque confunde-se os vocábulos lago, rio e cachoeira

O que isso tudo tem a ver com poesia? Muita coisa: 
(a) na poesia, é preciso saber como o leitor irá construir cenários (imagens)
(b) na poesia, é preciso induzir o leitor a tirar conclusões próprias, para isso ele precisa "entender" o texto.
(c) na poesia, é preciso sintetizar os enunciados com sentido 

Vamos a um exemplo. Leia o texto a seguir: 

“Um asno, vítima da fome e da sede, depois de longa caminhada, encontrou um campo de viçoso feno ao lado do qual corria um regato de límpidas águas...”
(Fábula de Buridam, filósofo da Idade Média)

Agora, veja os substantivos concretos: 

asno, campo, feno, regato, águas, 

A identificação dos substantivos concretos permite a elaboração de várias perspectivas. Por exemplo: 

Um asno, campeão de vários concursos, tem para si próprio, um campo amplo para relaxar. Nele há várias seções de plantação de feno, próximas a um regato cujas águas são eternametne frescas para saciar a sede. 

Veja a boa definição de um texto figurativo: 


Texto figurativo 
Um texto figurativo é do tipo narrativo, com predominância de termos concretos, ou seja, substantivos concretos. Com esses elementos cria um efeito de realidade, caracterizando uma imagem de mundo, onde são analisadas relações humanas e acontecimentos. No entanto, isso não representa que o texto figurativo não tenha tema, pelo contrario, o texto narrativo sempre apresenta, em suas estruturas profundas, um tema.
A função do texto figurativo é representativa, e para tal, ele usa palavras predominantemente concretas, onde os temas são encobertos pela camada figurativa. Os tempos verbais mais utilizados são: presente, imperfeito e futuro.
Quando dizemos que um texto é figurativo ou temático, na verdade o que queremos dizer é que é predominantemente e não exclusivamente figurativo ou temático, pois em um texto figurativo podem aparecer temas e vice e versa.
Para facilitar o entendimento do leitor em classificar um texto, ele pode chamar de figuras os elementos concretos que encontrar e de temas os elementos abstratos. Embora, o leitor, diante de um texto não deva se deter apenas a termos concretos ou não, e sim, procurar o significado mais amplo possível da leitura, o que mostrará sua competência linguística.


Veja este poema que escrevi: Chicago. Tente analisar os termos (vocábulos) concretos a ponto de ir construindo o passeio que fiz lá.

Após a leitura, veja só a síntese que reelaborei aqui: 

Chicago 

Passeio de barco
Caminhada no Navy
Roda gigante
Ferida

Passeio no Feijão

Pessoas no calçadão 
Chafariz
Roupa molhada

Passeio no lago
Celular na mão
Barzinho na esquina
Reunião festiva

Passeio no shopping
Emprego
Casamento
Cidadão

Só com substantivos "concretos".... 

O processo inverso também é possível. Veja esta situação em que me peguei: 

Assistindo o filme "Náufrago" na TV, deitado no sofá com algumas almofadas e um cachorro de pelúcia. 

Agora acesse o seguinte poema e veja o resultado: Wilson

.....

Vamos às atividades...

===============================
ATIVIDADES

Descrição e observação

1) Vá até o shopping center de sua cidade (ou praça) e observe variadas cenas: praça de alimentação, por exemplo. Liste 5 grupos com 4 palavras cada grupo. Por exemplo: 

Praça de alimentação

Grupo 1         Grupo 2             Grupo 3            Grupo 4 
Pratos            Bolsas               Crianças           Fast Food
Talheres        Vestuários         Jovens              Lanchonetes
Copos            Celular               Solteiros           Choperia
Mesas            Lap tops            Casados           Restaurantes

Depois, use sua criatividade para compor o poema. Assim:

A primeira visão que tive veio pelo barulho dos pratos
Pior ainda foi quando os talheres se juntaram em atos
Logo, vi todos gesticularem seus copos como aplausos
E nas mesas, grupos e casais divertiam-se incautos

Se quiser, pode usar os outros grupos aqui que selecionei. Lembre-se que as palavras precisam ser "concretas", ou melhor, "figurativas".

2) Mesmo que você tenha carro próprio, sugiro que adentre a um transporte público (coletivo ou train ou metro) e faça o mesmo tipo de observação: selecionar grupos de palavras e depois escrever um poema, descrevendo exatamente a cena observada.

Há outros lugares que você pode também fazer esse tipo de exercício. Seja criativo e tenha liberdade de fazê-lo, mas faça.

3) Faça o processo inverso, ou seja, pegue um poema seu ou de algum autor (aqui no meu blog, há vários que você pode acessar). Leia-o atentamente e veja se o texto é marcadamente figurativo. Depois, sintetize-o com substantivos concretos apenas, mas mantenha o nível de coerência (lógica).

Descrição e abstração

1) Vá no "google imagens" e digite um substantivo (carro, parque, pássaro, flores, etc). Use sua imaginação para escolher figura que mais lhe agrada . Você deverá fazer associações de ideias. Por exemplo:

Pássaro = voar, liberdade, solidão, altura, visão, céus, imensidão, etc. 

A partir disso, escreva um poema com as abstrações feitas a partir da associações de idéias das imagens. Quando escrevi os pensamentos sobre a Teologia da Cruz, a ideia primeira que tive foi selecionar as diferentes figuras da cruz (Não é um poema, mas a ideia foi por meio de abstração). Faça esse exercício, tenho certeza que você irá tornar-se mais criativo e muito "crítico", cognitivamente falando. 

2) Assista um filme que você goste. Identifique algum tema no filme (amor, paixão, alegria, felicidade, fidelidade, etc). Descreva em estrofes o tema (que pode ser o título) por meio das imagens (cenas) que o filme foi elaborado. Esse exercício é excelente para fazer com que você saiba sintetizar o significado por meio de imagens. 

3) Ouça e veja esse vídeoclip de um grupo infantil que não existe mais, mas que fez sucesso muito grande na década de 90, do século passado. É o Trem da Alegria com a música Uni Duni Te. Você terá que acompanhar aqui o vídeo com a letra. É só observar. 


Uni Duni Tê
Trem da Alegria


Eu quis saber da minha estrela-guia
Onde andaria meu sonho encantado
Fada-madrinha, vara de condão
Esse meu coração sonhando acordado

Vai nos levar para um mundo de magia
Onde a fantasia vai entrar na dança
E quando o brilho do amor chegar
Eu quero é mais brincar, melhor é ser criança

Uni duni duni tê, ô ô ô ô
Salamê minguê, ô ô ô ô
Sorvete colorê
Sonho encantado onde está você?

A carruagem vai seguir viagem
E o Trem da Alegria vai pedir passagem
Na direção do amor que eu preciso
Do meu paraíso, doce paisagem

Vai nos levar para um mundo de magia
Onde a fantasia vai entrar na dança
E quando o brilho do amor chegar
Eu quero é mais brincar, eu quero ser criança

Uni duni duni tê, ô ô ô ô
Salamê minguê, ô ô ô ô
Sorvete colorê
Sonho encantado onde está você?


===========================

Agora você terá que ver e ouvir mais um videoclip. Dessa vez é do conjunto Roupa Nova. É a música "Linda demais" (um poema!). A letra está logo abaixo do vídeo para você acompanhar 



Linda!
Só você me fascina
Te desejo muito além do prazer
Vista meu futuro em teu corpo
E me ama como eu amo você...

Vem!
Fazer diferente
O que mais ninguém faz
Faz parte de mim
Me inventa outra vez
Vem!
Conquistar meu mundo
Dividir o que é seu
Mil beijos de amor
Em muitos lençóis
Só eu e você...

Linda!
Conte a mim teu segredo
Pro meu sonho
Diga quem é você
Livre!
Nunca mais tenha medo
Pois quem ama
Tudo pode vencer...

Vem!
Fazer diferente
O que mais ninguém faz
Faz parte de mim
Me inventa outra vez...
Vem!
Conquistar meu mundo
Dividir o que é seu
Mil beijos de amor
Em muitos lençóis
Só eu e você...

Oh! Oh! Oh! Linda!

Vem!
Fazer diferente
O que mais ninguém faz
Faz parte de mim
Me inventa outra vez
Vem!
Conquistar meu mundo
Dividir o que é seu
Mil beijos de amor
Em muitos lençóis
Só eu e você...

Eh! Eh! Linda!
Só você me fascina
Te desejo muito além do prazer
Oh! Oh! Oh!
Vista!
Meu futuro em teu corpo
E me ama como eu amo você...
Você
Oh! Oh! Oh! Linda!


==================
Agora você terá que comparar os dois e identificar o processo de construção de sentido. É claro que o texto da música Trem da Alegria é mais figurativo, mas na compração, você verá que a abstração acontece nos dois. É apenas um exercício de comparação e abstração. 

=========

Bom, vamos ficar por aqui. Até a 3a aula que será sobre "Tema".